Histórico

Concessão

O Curso de Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Associação ampla em Rede, foi concebido neste formato por meio da integração das competências, a princípio, de cinco IES públicas nordestinas (UFPI, UFC, UFRN, UFS e UESC) das sete (Universidade Federal do Piauí - UFPI, Universidade Federal do Ceará - UFC, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN, Universidade Federal da Paraíba - UFPB, Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, Universidade Federal de Sergipe - UFS e Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC) que integram o Programa Regional de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente, autodenominado Rede PRODEMA, que há 25 (vinte e cinco) anos qualifica recursos humanos em nível de Mestrado e há 10 anos, em 2009, em nível de doutorado interdisciplinar na Região Nordeste. O que configura esta Rede é que todos as instituições que participam do doutorado oferecem disciplinas obrigatórias em comum (Tronco Comum), incluindo Seminários Integradores interinstitucionais anuais dos quais todas as IES do PRODEMA participam.

Cada uma destas IES conta com níveis de competência quanto ao ensino, pesquisa e extensão, considerando-se inclusive as experiências acumuladas nos Mestrados da “Rede PRODEMA”, com áreas de concentração em Desenvolvimento e Meio Ambiente. O conjunto das ações planejadas que envolvem a estrutura curricular do curso, a execução de projetos de cada IES participante e o esforço acadêmico partilhado para a oferta de disciplinas e orientações acadêmicas, constitui um modelo de pós-graduação que assegura, para sua consecução, a mobilidade acadêmica de discentes e docentes. Esta mobilidade é bastante relevante para potencializar as capacidades instaladas, facilitar a interlocução e possibilitar diferentes parcerias na discussão e equacionamento dos problemas socioambientais, por meio de pesquisas interdisciplinares.

As IES que constituem este Doutorado em Rede possuem um corpo docente com formação, qualificação e atuação diversificadas, experiências em temáticas relevantes para a construção da interdisciplinaridade, além de infraestruturas suficientes para sustentar o Doutorado. Esta associação consiste em alternativa sustentável para produzir ciência de qualidade, alicerçada na interdisciplinaridade e em prol do equacionamento dos problemas socioambientais, especialmente da Região Nordeste.


O Curso em 2017

Os discentes ingressantes nas turmas deste Curso de Doutorado em 2015, 2016 e 2017 totalizaram 240 matriculados, 45 foram titulados e 6 desligados. Nesse período, o tempo médio da titulação foi de 49 meses. O Curso contava com 61 professores permanentes, 16 colaboradores e 02 visitantes, totalizando 79 docentes. Foram publicados 963 trabalhos, sendo: 725 em períodos, livros e capítulos de livro; e 238 trabalhos técnicos. Do total da produção qualificada (artigos em periódicos) 42% foram publicados nos estratos superiores. Além disso, o curso produziu 153 livros e/ou capítulos de livros, as quais estão distribuídas nas duas linhas de pesquisa do Curso, vigentes até o ano de 2017, a saber: 1) ORDENAMENTO TERRITORIAL E GESTÃO DE CONFLITOS NOS AMBIENTES COSTEIROS; e 2) PLANEJAMENTO E GESTÃO DE ZONAS SEMIÁRIDAS E ECOSSISTEMAS LIMÍTROFES. Como resultado de ampla discussão em função da abrangência do curso, em 2017, o Colegiado do Curso aprovou a alteração das linhas de pesquisa, passando a viger a partir de 2018 , três linhas de pesquisa, a saber: 1) PLANEJAMENTO E GESTÃO E POLITICAS SOCIOAMBIENTAIS e 2) RELAÇÕES SOCIEDADE-NATUREZA E SUSTENTABILIDADE e 3) TECNOLOGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. Essas linhas de pesquisa foram concebidas no sentido de adequar-se aos trabalhos que vêm sendo desenvolvidos no Programa de Doutorado e manter a coerência com as linhas de pesquisa dos cursos de Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente.

Conforme previsto no Regimento Interno do Curso de Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Associação em Rede, atualizado e aprovado em outubro de 2016, o Curso possui uma Coordenação Geral, lotada em regime itinerante entre as IES que compõe a Associação em Rede, e uma Coordenação Local, constituída em cada IES. A Coordenação Geral do Curso, nos quatro primeiros anos desde a criação (2009-2013), foi exercida pela Profa. Dra. Vládia Pinto Vidal de Oliveira da Universidade Federal do Ceará (UFC). Em outubro de 2013, a Profa. Eliza Maria Xavier Freire da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) foi eleita pelo Colegiado do Curso para a Coordenação Geral, para o biênio 2014-2016, cargo assumido oficialmente em abril de 2014 (Ofício Nº 17_22/2014/CAA III/CGAA/DAV/CAPES). Em outubro de 2017, em Reunião do Colegiado do Curso, realizada na UFRN, elegeu a Profa. Josiclêda Domiciano Galvincio da Universidade Federal de Pernambuco para a Coordenação Geral do Curso, no biênio 2017-2020. Nesse período, a Coordenação Geral do Curso ficará sediada na UFPE/Centro de Filosofia e Ciências Humanas-CFCH/Departamento de Ciências Geográficas-DCG. A UFPE é uma IES consolidada no âmbito do ensino, pesquisa e extensão, na região Nordeste, que dará o aporte físico-estrutural e administrativo para o pleno funcionamento do Curso.


Curso em 2018

O total de discentes matriculados no Curso de Doutorado, relativo aos anos 2016, 2017 e 2018, somaram 242 estudantes, dos quais 56 foram titulados, 7 foram desligados e 1, abandonou. Nesse período, o tempo médio da titulação foi de 50 meses. O Curso contava com 62 professores permanentes, 18 colaboradores e 2 visitantes, totalizando de 82 docentes. Foram publicados 801 trabalhos na forma de: artigos em periódicos, livros e capítulos de livros (600); e trabalhos técnicos (200). Da produção qualificada, 323 artigos foram publicados em periódicos, dos quais (51%) foram publicados nos estratos superiores. O curso em 2018 investiu e estimulou a publicação nos estratos mais altos (A1 e A2) com fator de impacto. Após a avaliação da produção científica em livros e capítulos de livros, o índice bibliográfico aumentará consideravelmente, uma vez que foram publicados 297 trabalhos nessa modalidade. Este aumento considerável de publicação em livro se deu pela valorização nas avaliações da CAPES.


Curso em 2019

O total de discentes matriculados no Curso de Doutorado, relativo aos anos 2017, 2018 e 2019, somaram 310 estudantes, dos quais 69 foram titulados, 5 foram desligados e 2, abandonou. Nesse período, o tempo médio da titulação foi de 49 meses. O Curso contava com 57 professores permanentes, 24 colaboradores e 01 visitante, totalizando de 83 docentes. Possuem bolsa de produtividade de pesquisa 22 professores permanentes, sendo 39% dos professores permanentes. Foram publicados 848 trabalhos na forma de: artigos em periódicos, livros e capítulos de livros (637); e trabalhos técnicos (211). Da produção qualificada, 347 artigos foram publicados em periódicos. O curso em 2019 investiu e estimulou a publicação em periódicos com alto fator de impacto. Após a avaliação da produção científica em livros e capítulos de livros, o índice bibliográfico aumentará consideravelmente, uma vez que foram publicados 156 trabalhos nessa modalidade.

Comparado os três anos até agora dessa quadrienal 2019, 2018 e 2017 é possível perceber um equilíbrio na quantidade de produção em artigos científicos. Vale destacar que apesar das restrições financeiras das agências de fomento os índices de curso se mantiveram alto.

A incorporação da pontuação de livros e capítulos de livros nas métricas de avaliação da CAPES incentivou os docentes a focarem nesse tipo de publicação, o que fez a produção em livros aumentar consideravelmente durante esses três anos. Tradicionalmente, a publicação em livros sempre foi valorizada pelos professores da área de Ciências Ambientais e a mudança da métrica de avaliação da CAPES favoreceu o retorno a essa prática. É importante destacar que vários livros publicados no âmbito da Rede PRODEMA tiveram projeção internacional, sendo alguns deles vendidos no portal da Amazon.com, como por exemplo, Mudanças Climáticas e Modelos Ambientais. Esses livros também são citados como referência bibliográfica em editais de concursos públicos.

A produção bibliográfica do curso distribui-se entre as três linhas de pesquisa que entrou em vigor em 2018: 1) PLANEJAMENTO E GESTÃO E POLITICAS SOCIOAMBIENTAIS, com 30% da produção bibliográfica 2) RELAÇÕES SOCIEDADE-NATUREZA E SUSTENTABILIDADE, com 31% da produção bibliográfica e 3) TECNOLOGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEl, com 39% da produção bibliográfica.

O curso durante os anos de 2017, 2018 e 2019 contou com três projetos estruturantes, sendo um em cada linha de pesquisa. Os três projetos estruturantes são compostos por vários subprojetos (planos de ação) que estão registra dos na sucupira. Esses subprojetos possuíam cooperação-técnica-cientifica com instituições internacionais viabilizando a realização de doutorado-sanduiche.

Na linha de pesquisa 1 o projeto estruturante possui o título: Avaliação socioambiental, valoração dos serviços ecossistêmicos e gestão dos recursos naturais no Nordeste todo Brasil

Objetivo: Avaliar e valorar os serviços ecossistêmicos dando suporte a gestão dos recursos naturais do Nordeste do Brasil.

Este projeto possui 17 subprojetos (planos de ação) registrados na sucupira.

Na linha de pesquisa 2 o projeto estruturante possui o título: Qualidade ambiental, desertificação e aspectos socioeconômicos em área urbanas e rurais

Objetivo: Avaliar a qualidade ambiental, desertificação e aspectos socioeconômicos no Nordeste do Brasil.

Este projeto conta com 23 subprojetos (planos de ação) registrados na sucupira.

Na linha de pesquisa 3 o projeto estruturante possui o título: Innovate Project: Interplay among multiple uses of water reservoirs via innovative coupling of substance cycles in Aquatic and Terrestrial Ecosystems

Objetivo: Avaliar os diferentes usos de água nos ecossistemas terrestres e aquáticos.

Este projeto conta com 26 subprojeto (planos de ação) registrados na sucupira.

Durante os três anos dessa quadrienal 2017, 2018 e 2019, vale destacar aumento no número de vagas e também na procura pelo o curso. Em 2017 com entrada em 2018 o edital contou com 76 vagas e em torno de 300 inscritos nas setes instituições. Em 2018 seleção com entrada em 2019 o edital contou com 98 vagas e aproximadamente 350 inscritos. Em 2019 seleção com entrada em 2020 o edital contou com 74 vagas e aproximadamente xxx inscritos. O curso de doutorado tem crescido em número de alunos e proporcionalmente tem crescido a interação com a graduação uma vez que neste curso é obrigatório o estágio docência. O aumento na oferta de vagas se deu em função da grande demanda pelo o curso. Também vale destacar que a quadrienal em andamento o curso aumentou no seu número de professores e espera-se no final desta quadrienal apresentar um aumento significativa na formação de recursos humanos e na produção científica prezando pela qualidade do que está sendo desenvolvido e publicado no curso. Estas mudanças positivas que estão sendo resultantes nesta no andamento desta quadrienal se devem as avaliações anuais que o colegiado geral tem realizado observado os indicadores qualitativos e quantitativos do curso. Nesta quadrienal estão sendo realizados dois workshops por ano para autoavaliação. Nestes workshops são avaliados as métricas de produção, a interdisciplinaridade dos projetos, patentes, internacionalização, inovações em editais, regras para credenciamento de novas instituições, regras de credenciamento e descredenciamento de professores, relação professor/aluno nos seminários integradores, criou-se instrução normativa quanto procedimentos éticos entre alunos e professores, interiorização, discussão de temas prioritários de formação de recursos humanos e inclusão de vaga estratégica de formação nos editais, dentre outros. Todas essas decisões e instruções normativas são geralmente publicadas no Boletim oficial da UFPE/Coordenação Geral (2017-2021). Em 2019 foram realizados os workshops V e VI e para 2020 está sendo previsto os workshops VII e VIII (Um em cada semestre). Resultante dos workshops pode-se citar duas ações de grande importância em 2019. Lançamento do edital de credenciamento de novas instituições (anexado na sucupira), instrução normativa de atualização do quadro de disciplinas (anexado na sucupira) e início, para novas turmas de 2019, do regimento do curso publicado em 2018. No edital de 2019 com entrada em 2020 tivemos uma inovação de formação com vagas para um tema estratégico que neste edital foi Agricultura Familiar (anexado na sucupira). Para 2020, por solicitação da CAPES (Ofício Circular nº 1/2020-DAV/CAPES), teremos alguns ajustes no regimento do curso.